terça-feira, 27 de outubro de 2009

DESCRENÇA...


Não sou depressiva.
Sempre fui atenta em deixar esta palavra longe do meu cotidiano.
Mas há dias em que a vontade que tenho é de ficar na cama, de lá não sair.
Deixar o rádio ligado em FM...só música...esvaziar a mente.
Pra que acordar, levantar, abrir janelas, deixar o sol entrar...Pra que?
Neste momento estou descrente. De tudo.De todos.Angústia pura.
Sem vontade de ouvir e constatar a velha história, a mesma história de
todo dia:- violência entre os homens (e bota violência nisto! - são verdadeiros
contos de terror) violência à natureza, sacanagem dos politicos, fome, desgraças,
e por aí vai...a lista é "sem fim".
Tomo café da manhã assistindo ao "Bom dia São Paulo", o primeiro jornal do dia.
E aí já começa o indigesto.Haja estômago.Não processo.
É tanta notícia ruim, aliás, é SÓ noticia ruim.E não dá pra ser diferente, porque não
tem muita coisa boa pra se falar, mesmo...
A melhor noticia que ouvi hoje foi de uma tal de Dona Maria, uma nissei, que ganhou um prêmio pelo melhor pastel de feira. Conseguiu me emocionar, pois a alegria dela era tanta,
e com razão, visto que é uma batalhadora.
Chorei com sua alegria.

Por um instante esqueci do assassinato do coordenador do grupo AfroReggae,
Evandro João da Silva,um lider comunitário do Rio de Janeiro, cujo pecado era querer
mudar alguma coisa para melhor nesta "República dos Trouxas".
Nem preciso citar os detalhes, porque todos sabem, que alem de morto, foi roubado pelos policiais (um par de tenis!!!)que viram o crime, deixaram os bandidos fugirem e nem socorreram o infeliz.
A este ponto chegamos.Policia, bandido, fazem um mix, e nós sendo moidos.Trucidados.
Chamar quem, quando estamos acuados? Policia? Ladrão?
Corra, se puder.Ou mate-se.

Por um momento esqueci do assassinato da jovem Bárbara, de 18 anos, pelo namorado, viciado em crack. Ela que era "um anjo na vida dele", que tentava fazê-lo se livrar da droga, acabou sendo vitima dela.Uma insanidade.
Quem controla a droga neste país? - Ninguem. Tudo encenação.
Milhões e milhões são gastos para o combate ao crime organizado, mas este dinheiro cria asas e voa para o bolso dos corruptos de plantão.
E ficamos assim, pagando impostos sem ver retorno de nada, absolutamente nada.

Ficaria o dia todo, aqui, declinando fatos.Uns piores que outros.
Mas basta de mal estar.Não é justo com você, que lê isto.
Alem do mais, já tenho a cabeça bem esquentada.
Não fico impassivel.Não viro o rosto para o outro lado.E sofro.
E me acomete uma enorme tristeza pela impotência de fazer algo para mudar este
estado de coisas. Fazer o quê? Sair batendo panelas, como fazem as argentinas?
Com certeza seria presa, colocada uma camisa de força, e me mandariam para um manicômio.
Acabo sendo mais uma expectadora estupefacta com todos estes fatos que nos põem à reflexão, questionando, até, se vale a pena viver. Aí me afundo.
E precisa de muita dose de otimismo, buscar não sei de onde um alento, para me tirar da concha em que desejo me fechar...


Um comentário:

  1. Gostaria muito de te poder ajudar, mas seria um abraço dos afogados...

    ResponderExcluir